Home Quem somos

Quem somos

Mulheres autênticas que buscam a expressão da sua individualidade. Queremos proporcionar visões de mundo nada consensuais e abordagens inovadoras em diferentes aspectos da vida, como: viagens, entretenimento, cultura em geral, relacionamentos, comportamentos, carreira, filhos, bem-estar, e o que mais for relevante a todas as mulheres que estejam em um momento de reflexão ou busca por algo diferente.

Data de nascimento: Dia do Solteiro/2014 (15/08/2014)

Signo: o mapa astral inteiro.

Estado civil: irrelevante.

Crença: Acreditamos que viver a liberdade é divertido, saudável, possível e gratificante. Sim, há felicidade na vida se comprometendo consigo mesma.

Para que estamos aqui: Pensar, rir, polemizar, democratizar, compartilhar, desabafar e discordar (por que não?!).

as_blogueiras

Eva Maria Gonzaga

Mineira, 33 anos, advogada, solteira procurando um relacionamento.

Para ela homens são seres confusos.

Adora pudim de leite da avó, andar de bicicleta, ler e sair com as amigas.

É prática, comunicativa, questionadora, atenciosa e gentil.

Seus temas preferidos são: filosofia, cinema, direitos humanos, sexo e angústias existenciais.


Glória Feler

Paulistana, 39 anos, psiquiatra – e escritora em colapso.

Concubina de bons tragos, bons livros e homens (de todos os tipos).

Não aprecia turismos, quando visita absorve.

Paixões: cinema, jazz e mulheres.

Escreve pelo contato. Ora para abraçar. Ora pra corromper.


Hipólita

Paulistana, madura, livre por excelência.

Não liga para aplausos ou vaias. É exigente e absolutamente irreverente (viva a rima!).

Adora literatura, gosta de escrever, cozinhar, fazer crochê e curtir a natureza: flores, pássaros e a beleza.

Acredita que refletir faz parte de aprender a ser mais feliz e que desafios a vencer são fundamentais. Está fora de pessimismos ou tristezas.


Juliette Silva

Carioca, 48 anos, executiva, atualmente solteira.

Em busca da felicidade sempre. Acredita na justiça e briga com os preconceitos (inclusive os seus).

Um tanto atrapalhada, mas muito competente no que se propõe a fazer.

Meio mística, meio cética…meio no mundo da lua.

Gosta de gente, isto significa, pessoas, animais, natureza, etc.

Pensa muito e em várias coisas ao mesmo tempo.


Lana Byron

Paulistana, 22 anos, DJ, solteira bipolar.

Seria trágica se não fosse cômica (assim como sua vida amorosa).

Amante do bom e do péssimo rock. Nada de meios-termos, por favor.

Hobbies: filmes, séries, HQs e longos e relaxantes passeios por brechós.

Seus textos são frutos de suas crises internas e críticas aos padrões sociais.


Otávia Fernanda

Paulista de 46 anos, estado civil volátil.

Ex-executiva que cansou da vida escrava e resolveu ser atriz, escritora e filósofa nas horas vagas.

Cursou Engenharia, Direito, Administração e tem MBA, mestrado, doutorado e o diabo a quatro, mas não recomenda a ninguém.

Morou 4 anos em Londres, onde foi colunista em jornais e revistas locais.

Provocadora e introspectiva, adora questionar o status quo.

Escreve um pouco de tudo e pensa tudo sobre pouco.


Renata Rios

Paulistana, 35 anos, solteira convicta.

Para ela homens são diversão.

Adora o Rio de Janeiro e a Bahia.

É descolada, desbocada e namoradeira.

Seus temas preferidos são: sexo, paquera, balada, moda, dança e conflitos morais e religiosos.


Ruth Reis

Gaúcha que mora no interior, 41 anos, mãe e divorciada.

Para ela homens são companhia.

Adora passeios com crianças e poesia.

É moderna, executiva e diplomática.

Seus temas preferidos são: mercado de trabalho, filhos, educação e conflitos éticos.


Spagofreda Spatifúrcia

Paulistana, 38 anos, webdesigner (freelancer), solteira convicta.

Só aguenta homens por uma ou duas noites.

Gosta de tudo que é alternativo ou fora do padrão. Adora um porre com os amigos e uma boa briga.

É autossuficiente e odeia rotina (a única que atura é o futebol aos domingos). Tem um lado irônico que irrita muita gente.

Não tem temas preferidos. Gosta mesmo é de polêmica. Qualquer uma.


Zefa Maria Antunes

Paulista, 39 anos, terapeuta, solteira aliviada.

Bem humorada, alegre, expansiva.

Procura desesperadamente seu bem estar, por isso, fica às vezes meio enlouquecida sendo totalmente contraditória.

Temas preferidos: família, relacionamentos, crenças sociais, cotidiano.

 

 

Esta é uma obra de ficção coletiva baseada na livre criação artística e sem compromisso com a realidade.