Home Tags Posts com as tags "álcool"

álcool

por -
0 533

Final de ano, festas e confraternizações, muitas pessoas perguntam como minimizar os efeitos negativos do álcool, então o Solteirar me convidou para deixar umas dicas para as Solteirandas que gostam de beber.

Como médica, não posso começar esta conversa sem lembrá-las que beber em excesso causa uma série de efeitos nocivos a saúde e você nunca deve misturar direção e álcool.

Agora vamos as dicas.

Comece ingerindo uma grande quantidade de água para que possa diluir o efeito do álcool. Água deverá acompanhar você, antes, durante e depois de beber. Para melhor hidratar, a água de coco é uma excelente opção de bebida para ser consumida após a festa. Fuja dos refrigerantes, estes poderão agredir seu estômago.

É importante comer algo antes e/ou durante a comemoração. Nunca beba de estômago vazio porque o álcool é absorvido mais rapidamente.

Nunca misture álcool com energético. O álcool é um depressor do sistema nervoso e os energéticos são estimulantes, ou seja, é uma combinação bombástica, o seu cérebro receberá duas informações de efeitos contrários simultaneamente.

Uma opção menos agressiva ao seu corpo são as bebidas com menor teor alcoólico.

Reserve um tempo para descansar após beber, dormir é fundamental para a recuperação do organismo.

E por último, para as mais vaidosas, sim álcool é bem calórico e engorda.

Boa diversão.

 

Dra Ana Juncken

Instagram @draanajuncken

 

 

 

por -
0 1076

Fim de ano chegando e com ele diversas festas e bebedeiras. Não tem como negar o quanto elas são divertidas e nos fazem comemorar todo um ano que se foi.

Mas, às vezes, o dia seguinte nos traz surpresas não muito agradáveis.

Então, vamos dar 5 dicas boas e baratas para curar aquela ressaca indesejada.

  1. Beba muita água. O excesso de bebida alcoólica acaba fazendo com que nosso corpo elimine bastante água também. Água de coco, sucos naturais e isotônicos ajudam muito.
  1. Repouse. Nosso corpo acaba ficando cansado com a ingestão do álcool. Por isso, atividade física nem pensar.
  1. Banho gelado. Reanima, ajuda a ativar a circulação. E, certamente, tira aquele mal-estar da ressaca.
  1. Alimente-se de modo leve. Mesmo sem vontade de comer, é importante que o estômago esteja bem. Dê preferência aos alimentos sem gordura.
  1. Banana. Ela nos ajuda a recuperar mais rapidamente a perda de potássio que eliminamos junto com os demais sais.

Imagem: Agradecimentos a Coventry Rugby (UK).

Eu:         Como foi o fim de semana?

Ela:         Só lhe conto se você escrever.

Eu:         Aprontou o quê desta vez?

Ela:        Se está interessada lhe aconselho pegar lápis e papel.

“Meu corpo está nu, em êxtase e quase incapaz de abrir os olhos. Assim que eu recuperar o fôlego, poderei confirmar que não conheço o lugar, não conheço a pessoa e não me reconheço, por ora só sinto o prazer me consumindo.

Não quero esperar pela manhã, mas não tenho capacidade de pedir um táxi nem de guiar meu carro, até porque não sei onde ele está. A minha última lembrança revela um ardente beijo que outra mulher acertou na minha boca.

Uma pessoa na cama me beija, acho que é ela. Não tenho força para retribuir nem para recusar, só quero flutuar para a minha casa, não será possível, tem um corpo nu sobre o meu. Minha cabeça gira e naquela confusão de memórias e saliva, uma coisa certa: transei novamente com o álcool.

Não me recordo qual foi a última vez que me envolvi de fato com a pessoa que estava comigo, a embriaguez me usurpou desse momento. Não sei quando aprendi a ser assim. Não sei se sou uma boa amante – provavelmente não. Não sei se tive bons amantes. Eu não me importo, eu sinto o gozo e isso me basta, não existem rostos para identificar o meu clímax.

Meu estado parece uma mescla de ninfomanismo e dependência alcoólica, mas eu sinto paz. Não tenho pudor e, para ser sincera, a sobriedade me enoja.

Publique Glória, essas palavras são suas.”

Eu:         Estou sem ar, você precisa de ajuda?

Ela:        Não, mas se alguém precisar, que me procure, tenho muita vodca!

por -
2 1251

“A sede por adrenalina é tanta que os olhos cegam.

Qualquer cheiro ou som que aguce os sentidos representa uma potencial fonte de satisfação.

Recebo o álcool e o ecstasy.

Na carne um desejo latente. Na mente o interior da tua saia.

Reinvento-me para essas vidas paralelas.

 

No trago absorvo o vazio e me atiro à feliz desgraça daquela janela do tempo. Em um ritmo frenético apago as memórias. Regurgito a alma. Abandono a casca. Despeço-me de mim. Por fim desligo. Sobram cicatrizes, cansaço, engulho. É a própria ressaca impregnada. Finjo que nunca mais e aguardo em repouso pela próxima janela.

No sexo invado a matéria, só quero adentrá-la. No ciúme quero sangue. Cravo as unhas, quero perdão. O pensamento não cessa, há pausa, há silêncio, mas ouço o sussurro. Parece demência, mas é só saudade. Tenho força, vou em frente. E pela covardia, lamento.

São golpes de palavras. Ficam o pó e os cacos não varridos. Estou consumida. É a própria ressaca impregnada. Dissimulo promessas e me deixo respirar até que o ar por fim me sufoque.”

 

Solteirando pelas redes sociais