Home Tags Posts com as tags "Festas"

Festas

por -
0 769

Final de ano, festas e confraternizações, muitas pessoas perguntam como minimizar os efeitos negativos do álcool, então o Solteirar me convidou para deixar umas dicas para as Solteirandas que gostam de beber.

Como médica, não posso começar esta conversa sem lembrá-las que beber em excesso causa uma série de efeitos nocivos a saúde e você nunca deve misturar direção e álcool.

Agora vamos as dicas.

Comece ingerindo uma grande quantidade de água para que possa diluir o efeito do álcool. Água deverá acompanhar você, antes, durante e depois de beber. Para melhor hidratar, a água de coco é uma excelente opção de bebida para ser consumida após a festa. Fuja dos refrigerantes, estes poderão agredir seu estômago.

É importante comer algo antes e/ou durante a comemoração. Nunca beba de estômago vazio porque o álcool é absorvido mais rapidamente.

Nunca misture álcool com energético. O álcool é um depressor do sistema nervoso e os energéticos são estimulantes, ou seja, é uma combinação bombástica, o seu cérebro receberá duas informações de efeitos contrários simultaneamente.

Uma opção menos agressiva ao seu corpo são as bebidas com menor teor alcoólico.

Reserve um tempo para descansar após beber, dormir é fundamental para a recuperação do organismo.

E por último, para as mais vaidosas, sim álcool é bem calórico e engorda.

Boa diversão.

 

Dra Ana Juncken

Instagram @draanajuncken

 

 

 

Seja na empresa, em família ou entre amigos, a época de celebrar o final de mais um ano está chegando e com ela muitos eventos, festas e confraternizações. A ordem é reunir pessoas queridas e importantes, comemorar vitórias, conquistas, e planejar o próximo ano. Porém, para que esta época fique marcada apenas pelos bons encontros e reuniões prazerosas, alguns cuidados básicos devem ser observados, especialmente em celebrações mais elaboradas. Enfim, cuidado com os contratos relacionados à organização de eventos, aluguel de espaços, decoração de festas e serviços relacionados.

No caso de aluguel de espaço e serviços para evento ou confraternização, vale a pena observar alguns pontos para evitar aborrecimentos ou problemas mais graves. Primeiro, antes de contratar, pesquise a reputação da empresa na internet e também com aqueles que já contrataram os serviços da mesma. Nos sites do Procon e do Tribunal de Justiça é possível ver se existem ações contra a empresa e seus sócios. Vale também pesquisar nas redes socais (Facebook, Twiter, etc) e nos sites que dão visibilidade às reclamações de clientes, como por exemplo, o Reclame Aqui. Em paralelo, é importante pesquisar a situação cadastral (CNPJ) da empresa na respectiva Junta Comercial da cidade, no site da Receita Federal (www.receita.fazenda.gov.br), e assim conferir a veracidade de informações importantes, como Razão Social e endereço. Se possível vá até o local conhecer a empresa.

Após firmar o acordo, negocie sempre para que o pagamento seja parcelado. Mesmo que você receba ofertas de “descontos fantásticos” e “únicos”, resista em pagar tudo antecipadamente. Se não conseguir negociar uma boa parte do pagamento após o evento, tente negociar para que a última parcela seja feita no dia do evento ou bem próximo disso, para ajudar a inibir tentativas de golpe, como em diversos casos noticiados em que os donos do Buffet desaparecem com o dinheiro dos clientes.

O passo seguinte é ler atentamente o contrato. Essa pode ser uma tarefa árdua para aqueles que não tem paciência com detalhes e formalidades, mas é muito importante que seja executada na íntegra para ajudar a prevenir futuras decepções. Eu recomendo, sempre que possível, contar com a orientação profissional de um advogado. Enfim, certifique-se de que tudo o que foi pedido por você e combinado entre as partes está descrito detalhadamente. Não faça acertos verbais. Tudo deve constar em detalhes no contrato. Atente-se particularmente às multas contratuais por descumprimento de obrigações combinadas e também em casos de rescisão de contrato. Atenção ao que aceitar em contrato como penalidades ao consumidor: casos em que se aplicam multas ou retenções financeiras desproporcionais.

Por último, cuidado com a prática de “venda casada” (proibida pelo Código de Defesa do Consumidor, Artigo 39, I), quando a empresa induz ou condiciona a contratação de “parceiros” (i.e., decoração, fotógrafo, etc). A empresa pode sim indicar serviços de outros fornecedores, mas não pode condicionar a contração destes. Se por algum motivo indicar, e dependendo da situação houver problemas, a empresa pode ser responsabilizada conjuntamente.

Por fim, conforme mencionamos acima, uma boa pesquisa sobre a empresa e seus serviços, seguida pela estruturação de pagamentos atrelados ao cumprimento de obrigações, e um contrato detalhado ajudam a prevenir decepções futuras e ajudará você focar na celebração.

Alguns cuidados adicionais podem ajudar a dar maior conforto de que o combinado será realizado. Sempre que possível, combine e inclua no contrato obrigações de apresentar evidências de que os preparativos estão todos sendo executados dentro da normalidade, de acordo com o seu planejado, e se possível, atrele pagamentos a estas etapas também. É um pouco mais complicado, mas o conforto por você estar sabendo o que está acontecendo vale muito. Por exemplo, na contratação de serviços de decoração, certifique-se de aprovar um pré-projeto e amostras. Depois, acompanhe a montagem dos materiais, mobiliários e afins para ter certeza de que está tudo dentro do prazo combinado, bem como se o tipo, quantidade e qualidade dos materiais utilizados no evento (flores, tecidos, etc) estão de acordo com o contratado.

Mesmo com todos estes cuidados, caso o serviço contratado não seja cumprido, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) estabelece que você poderá exigir o cumprimento forçado da obrigação, nos termos do contratado; aceitar outro produto ou prestação de serviços equivalente; ou rescindir o contrato, com o direito à restituição da quantia paga, monetariamente atualizada. Entretanto, existem datas e situações únicas e especiais em que não haverá como reparar os problemas causados pelo fornecedor. Neste caso o consumidor poderá ingressar judicialmente e requerer um ressarcimento por perdas e danos, fazendo assim valer seus direitos.

Boas Festas e que o 2017 seja um ano de muita luz, saúde, paz, amor e prosperidade para todos nós!!!

 

*Evelin Sofia Rosenberg* – Sócia da Rosenberg Advogados Associados e Mestre em Direito Civil pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP).

 

Solteirando pelas redes sociais